10 lindas cidades do Vale do Mucuri

Ilha dos Caras (é um hotel) em Ladainha MG. Foto de Sérgio Mourão/Encantos de Minas
Localizado no Vale do Mucuri,  Ladainha, uma bela cidade com cerca de 20 mil habitantes, 
chama a atenção pela exuberância de suas matas, excepcionalmente preservadas ao redor da cidade, pelas cachoeiras e pela enorme pedra conhecida como "Marta Rocha", 
que se ergue da mata e é visível de todos os pontos da cidade. 
O Vale Do Mucuri é composto por 23 municípios divididos em 2 microrregiões com sedes em Nanuque e Teófilo Otoni.
Seu nome é dado ao fato de o vale ser percorrido pelo Rio Mucuri. Entre suas principais cidades se encontram Teófilo Otoni, conhecida por sua economia voltada às pedras preciosas, e Nanuque com a pecuária e agricultura como pontos fortes. O Vale do Mucuri encontra-se na porção leste do estado de Minas Gerais.
Locais para conhecer no Vale do Mucuri não faltam, já que ele pertence ao Circuito das Pedras Preciosas. Em Teófilo Otoni, a Serra da Farinha é um lindo atrativo local, dela é possível se ver toda a cidade e apreciar o vale. Na área central da Capital das Pedras Preciosas possui a Praça Tiradentes, que encantam pelos bichos-preguiça em suas árvores. Já em Nanuque, a aventura pelo Rio Mucuri é uma opção, pois ele é um bom lugar para a prática de canoagem. Descendo o rio encontra-se a Represa de Santa Clara, próximo a divisa com a Bahia. Para esportes radicais, o território nanuquense oferece ainda a Pedra do Fritz, que localiza-se na Serra dos Aimorés, na Zona Rural de Nanuque. Com aproximadamente 800 metros, o Fritz é o local preferido de quem gosta do paraquedismo de montanha e do base jump. Em seu meio urbano, a cidade oferece a Lagoa dos Namorados e a Pedra do Bueno, um ótimo local para contemplar o por do sol com vista para toda a Nanuque. Em Ladainha é possível conhecer a Pedra de Ladainha e ainda cachoeiras. A cidade de Carlos Chagas também possui atributos de uma cidade bela, ela tem a Pedra da Baleia e a famosa "Pedra da Boca", às margens da BR-418, que nada mais é que um curioso conjunto rochoso que tem a feição de lábios humanos. Além disso, Carlos Chagas é banhada pelos rios Mucuri e Pampã.

A Micro Região de Teófilo Otoni é formada pelos municípios de  Ataléia, Catuji, Franciscópolis, Frei Gaspar, Itaipé, Ladainha, Malacacheta, Novo Oriente de Minas, Ouro Verde de Minas, Pavão, Poté, Setubinha, Teófilo Otoni.

01 – Teófilo Otoni
Fotografia de João Vitor Mello
Sua população foi estimada pelo IBGE em 2016 em 141.501 habitantes, sendo então o 18º mais populoso do estado.Está a 450 km da Capital.
Tendo recebido uma considerável quantidade de imigrantes, principalmente alemães, com o passar do tempo o município descobriu sua vocação econômica para a exploração de pedras preciosas, sendo considerada hoje a "Capital Mundial das Pedras Preciosas".
As pedras preciosas de Teófilo Otoni são famosas no mundo inteiro. Fotografia de Sérgio Mourão/Encantos de Minas 
Além de se destacar no setor de exploração mineral, Teófilo Otoni também possui alguns atrativos turísticos de valor cultural ou histórico, como o Prédio da CEMIG, que releva-se pela sua arquitetura e história, tendo sido fundado em 29 de fevereiro de 1928; a Praça Germânica, onde o prédio situa-se, que foi construída em homenagem à imigração alemã na cidade; e a Igreja Matriz. Também há eventos de relevância regional ou mesmo nacional e internacional, como a Feira Internacional de Pedras Preciosas (FIPP), a Festa da Descendência Alemã e o Festival de Teatro de Teófilo Otoni (FESTTO).

02 – Ladainha
 Fotografia de Sérgio Mourão/Encantos de Minas
Sua população estimada em 2016 era de 18.066 habitantes.
Distante 158 km da Capital, Ladainha chama a atenção pela exuberância de suas matas, excepcionalmente preservadas ao redor da cidade, pelas cachoeiras e pela enorme pedra conhecida como "Marta Rocha", que se ergue da mata e é visível de todos os pontos da cidade. O município abriga, desde o fim de 2006, uma reserva indígena maxacali, com cerca de 200 habitantes.

03 – Novo Oriente de Minas 
Extraído do site minashoje.com
Novo Oriente de Minas fica a 518 km da Capital e conta com uma população estimada de 10.839 habitantes (IBGE 2016) limitando-se com os municípios de Teófilo Otoni, Caraí, Pavão, Catuji, Crisólita, Águas Formosas, Padre Paraíso, Pontos dos Volantes, e Joaima.
Em julho acontece a festa tradicional da cidade, o Fest-julho, época em que se reúne os novorientinos que já não moram na cidade e vários visitantes das cidades vizinhas como Teófilo Otoni, Caraí, Catuji, Padre Paraíso, Pavão entre outras; é uma época de muita agitação na cidade. Outros eventos marcantes que acontecem ainda são: a cavalgada e a corrida de cavalos na fazenda Guanabara conhecida por prainha por aqueles que residem no município tendo como promotor pessoas que gostam do esporte da cidade e da região. Além disso o município conta com uma gama de belezas naturais disponíveis a apreciação dos nativos e visitantes (Rios como o Marambaia e Americana,o Rio Mucuri belíssimas Cachoeiras como a cachoeira da Poaia, morros de granitos com vegetação de Mata Atlântica). Além da peculiar cultura rural. Durante a estação seca do ano as estradas de acesso ao interior do município são acessadas por qualquer tipo de veículo, entretanto durante a estação chuvosa é necessário se informar sobre as condições de trânsito.

04 – Poté
Fotografias de Sérgio Mourão/Encantos de Minas
Poté tem cerca de 16.573 habitantes segundo o IBGE, em 2016. Está distante 319 km da capital e faz divisa com Ladainha, Teófilo Otoni, Itambacuri, Malacacheta e Franciscópolis.
Durante cerca de 35 anos desde a fundação, no auge da produção do café, a economia da cidade girou em torno de sua exportação através da Ferrovia Bahia-Minas, que passava pelos distritos de Valão e Sucanga.
Hoje a cidade é um recanto de belezas naturais, que cativam e encantam a todos que conhecem seu rico e fértil solo. O município possui grande potencial de calcário, infelizmente não eficientemente explorado. A riqueza da região em metais preciosos foi também registrada, através de suas jazidas minerais de água-marinha, topázio, berilo, dentre outros.

Um monumento do Senhor Bom Jesus de Poté (padroeiro da cidade) de cerca de 17 metros, no alto do chamado "Morro do Cemitério" ou "Morro do Cruzeiro", pode ser visto de qualquer lugar do Centro ou dos bairros mais próximos da cidade. Há ainda um monumento em homenagem à população indígena (Índios Botocudos e Potenis que habitaram esse território e deu origem à cidade), no bairro Jardim Alvorada, mais precisamente no entrocamento entre as rodovias que ligam Poté a Ladainha e Poté a Teófilo Otoni.


05 – Itaipé
Vista aérea de Itaipé (autoria não identificada, assim que o autor for identificado, os créditos autorais serão inseridos)
Sua população estimada pelo IBGE em 2016 era de 12.651 habitantes. Distante 530 km da Capital, a cidade faz divisa com os municípios de Novo Cruzeiro, Caraí, Catuji, Ladainha e Teófilo Otoni.Itaipé tem como de atração turística o "Lagedão" (popularmente chamado de Bica's), onde encontra-se piscinas, cascatas e escorregadores naturais, contornados por matas nativas. O local está situado próximo a cidade, na estrada que liga Itaipé a Novo Cruzeiro.
Só agora vem sendo despertado a visão turística do local e inicia-se a sua exploração desse segmento com o Projeto Rio das Pedras
A Micro Região de Nanuque é formada pelos municípios de Águas Formosas, Bertópolis, Carlos Chagas, Crisólita, Fronteira dos Vales, Machacalis, Nanuque, Santa Helena de Minas, Serra dos Aimorés, Umburatiba

06 – Nanuque
Nanuque vista da Pedra do Bueno. Fotografia de Kelwy Silva de Oliveira
Sua população estimada em 2016 era de 41 808 habitantes.
Sendo a 79ª cidade mais populosa do estado, a 2ª do nordeste mineiro e a 1ª de sua microrregião, o município possui o melhor IDH do nordeste de Minas Gerais, com valor de 0,701, considerado alto.Nanuque é referência por ser rota para o litoral norte do estado do Espírito Santo pela rodovia estadual LMG-719 e para o litoral sul do estado da Bahia pela rodovia federal BR-418, por isso a cidade é considerada pela ANTT a 9ª do Estado de Minas Gerais com o maior fluxo rodoviário e a 47ª em relação ao país. Nanuque está 605 km à nordeste da capital Belo Horizonte e 1164 km ao sudeste da capital federal Brasília.
Nanuque é uma cidade turística pertencente ao Circuito das Pedras Preciosas, caracterizada por suas montanhas da Serra dos Aimorés, como a Pedra do Fritz, que é considerada o melhor ponto para a prática de base jump do país, além da canoagem pelo Rio Mucuri e a escalada da Pedra Presidente Bueno.
Em seu meio urbano, Nanuque oferece excelentes e variadas hospedagens em hotéis, restaurantes com o melhor da culinária mineira, além das praças e calçadões, lagos e a hospitalidade do interior de Minas.

07 – Carlos Chagas
Entrada de Carlos Chagas. Fotografia de Nizio Benjamim
A cidade de Carlos Chagas é conhecida como a "Pérola do Mucuri" e "Gloriosa Carlos Chagas", pois é considerada uma das mais belas cidades do vale. Seu povo acolhedor é sempre lembrado pelos visitantes. Segundo o IBGE em 2016, o município contava com 19857 habitantes.
Cidade cooperativista, é modelo na região, destacando-se a Cooperativa de Laciticínios Vale do Mucuri (COOLVAM), a Cooperativa de Crédito Rural de Carlos Chagas (SICOOB CREDICAR) e a Cooperativa Educacional de Carlos Chagas (COOEDUCAR), dentre outras pequenas cooperativas(como a COOPAC que produz deliciosos biscoitos caseiros). As associações comunitárias rurais, a Loja Maçônica e o Rotary Club, compõem também a chamada sociedade organizada, que ajuda no desenvolvimento sócio-econômico da cidade.
A também "Capital do Boi" possui um dos melhores e maiores rebanhos bovinos do Estado, tanto para corte como para produção de leite, sendo referência nacional na tecnologia de transferência embrionária. Além dos laticínios, dois frigoríficos e a plantação de eucaliptos se destacam.

08 – Águas Formosas
Vista parcial de Águas Formosas. Fotografia de Ailton Gonçalves
Sua população em 2016 era de 19.363 habitantes. Fica a 613 km da Capital e faz divisa com os municípios de Crisólita, Fronteira dos Vales, Machacalis
É um polo regional que abrange uma população estimada em aproximadamente 75 mil pessoas. Tem saída pavimentada para a capital Belo Horizonte, pela MG-105. O município também possui acessos ao estado da Bahia por Machacalis, Bertópolis ou Umburatiba, através da LMG-682, onde ambos acessos encontram pavimentados.
A economia baseia-se, basicamente, na pecuária e seus derivados.
Atualmente, Águas Formosas conta com a Praça Minas Gerais como a maior opção de lazer, onde se tem trailers, sorveterias e etc. A cidade conta ainda com belíssimas cachoeiras destacando a cachoeira da Zuada com quedas d'águas maravilhosas, onde recebe visitas de turistas de toda região.

09 – Fronteira dos Vales 
Vista parcial de Fronteira dos Vales. Fotografia de Ailton Gonçalves 
Fronteira dos Vales está distante 780 km da Capital e faz divisa com os municípios de Águas Formosas, Machacalis, Santa Helena de Minas, Felisburgo e Joaíma. Sua população estimada em 2016 pelo IBGE era de 4.743 habitantes. A economia gira em torno da pecuária e de empregos públicos. Suas principais comunidades são: Monte Castelo, Andaraí, Ventania, Santa Rosa, Nunes, Córrego do Prejuízo, Pedras e Barragem. O pico está a 1.186 m, denominado pedra da Velha Manoela, que era moradora do local. Seu principal rio, o Pampã, fornece água para toda a cidade. Seu principal ponto natural de lazer é a Cachoeira do Córrego Novo. No entanto, a cidade tem mais de 100 cachoeiras, dentre privadas e públicas. A principal época atrativa é o São João, quando diversos conterrâneos voltam à cidade para reencontrar familiares e trazem visitantes. Ainda a cidade destaca-se pela existência de três comunidades quilombolas Seus principais rios são: Pampã e Alcobaça.

10 – Bertópolis 
Foto extraída do site http://vale-do-mucuri.webnode.com
Distante 638 km da Capital, Bertópolis em 2016, tinha, segundo o IBGE 4.671 habitantes e faz divisa com os municípios de Palmópolis, Rio do Prado, Santa Helena de Minas, Machacalis, Umburatiba, Felisburgo
Bertópolis é muito conhecida pela sua tradição, quando comemorada a festa do padroeiro São João Batista nos dias 22, 23 e 24 de Junho, tendo um número de visitantes em aproximadamente 4.000 pessoas. A festa é muito popular e ganha mais espaço a cada ano.
O São João é comemorado com festas, barraquinhas típicas, danças, quadrilhas, comidas regionais e o que é melhor com o reencontro dos familiares ou de moradores que estão fora do município e ate mesmo fora do Brasil. E essa cidade é um dos maiores pontos turísticos dessa região. E seus habitantes são muito hospedeiros. E nessa cidade também, o pessoal da zona rural procura se sustentar por conta própria, produzindo lavouras além da produção de corte e engorda de gado, pois como uma cidade do interior essa é uma das alternativas mais praticadas pelos seus habitantes. Em termos de cultura, religião o moradores dessa cidade são muito cultos e fiéis. É uma cidade pacata sem transtornos envolvendo a sua população. Bertópolis é conhecida também como Os Berto ou Bertim de açúcar. (Foto da Matriz de São João Batista por Sérgio Mourão)

Fonte das Informações: Wikipédia

5 comentários:

  1. Cidades maravilhosas msm. Mas destaco a minha querida Gloriosa Carlos Chagas ;)

    ResponderExcluir
  2. Belezas naturais desse nosso Brasil que nosso povo precisa conhecer. Minas Gerais é fantástica e Nanuque uma bela e maravilhosa cidade.

    ResponderExcluir
  3. Eu saí de Minas,mas Minas não saiu de mim.

    ResponderExcluir