Moinho de pedra

E a pedra, depois de moldada no calo grotesco da mão de Ascânio, gira e gira, e no pingo constante do milho, grão por grão, medidos da moega, no controlar da trepidação, não tem ciência, apenas o saber dos antigos. 
Vai pro cocho, o fubá, arte final, do rústico sitiante. 
Mais grosso ou mais fino, médio, também pode ser, depende das cunhas da agulha, e da vontade do freguês. 
A broa cresce no forno!

Wagner Martins
http://www.livros.aviva.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário