Hábitos que só mineiro tem

Ter medo de comer outra comida que não seja mineira, ainda que a mesma seja apreciada por todos os demais seres humanos e recomendada pelo FDA (que é uma sub autarquia da Secretaria Estadual de Alimentos – mais conhecida por Ministério do Pão de Queijo).

Ficar na varanda da casa de campo cortando fumo, mesmo que depois não vá fumar.

Viajar de trem de ferro pra Vitória

Chegar quatro horas antes do horário marcado na passagem, mineiro nunca perde o trem.

Colar adesivo do Estado de Minas Gerais na traseira do carro.
Gabar-se de que seu estado tem as mulheres mais bonitas, a melhor comida, os melhores bares e as mentes mais brilhantes. Mesmo assim, a maioria dos mineiros insiste em emigrar de Minas Gerais.

Levar um pão de queijo fresquinho para seu vizinho.

Em cada 5 palavras que ele fala uma delas é “uai”.

Ter mais de quatro cachorros em casa, um periquito, mais dois porcos, uma vaca, três cavalos, cinco galinhas.


Desconheço o autor

5 comentários:

  1. PROSA MINEIRA

    Mineiro adora prosear;
    É mais do que simplesmente conversar;
    Tem uma história e um jeito;
    Num tem lá um português perfeito;
    Mas como o minerês é mais avançado;
    Temos todas as conjugações ao nosso lado;
    É um jeito de contar cantado;
    Deixa o forasteiro meio atabalhoado;
    Ainda mais com as abreviaturas;
    Comuns em nossas faladas literaturas;
    Cê va lá nu Zé...
    De onz ô a pé?
    Dizem que tem a ver com o francês puro;
    Outros falam que até nas palavras o mineiro é pão duro;
    Tem sempre uma cumade na sentença;
    E o cumpade que entra sem pedir licença;
    Falamos de palhoças e velhos casarões;
    Cenários das veredas e seus sertões;
    Sempre com suas emendas;
    Como aquelas colchas de velhas fazendas;
    Alguns proseam em orações;
    Nas igrejas barrocas falam ao Pai sobre suas aflições;
    Não somos santos varões;
    Soltamos vez por outra nossos palavrões;
    Nossa prosa fala de onde o sol encontra as montanhas;
    Histórias belas e lendas estranhas;
    Contos de coisas e trens da terra;
    Falatório que se abre e nem sempre se cerra;
    Lá em Minas a prosa é tradição;
    É a alma do amor e da nossa paixão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sente saudades? Ou tem alguma nostalgia ruim?

      Excluir
  2. APÓS 40 ANOS DOS MEUS 80 EM SÃO PAULO A VISÃO REGIONALISTA PERDE O SENTIDO.VIVI NA MOÓCA, BAIRRO ITALIANO NA ÉPOCA E MERGULHEI NA CULINÁRIA ITALIANA.OS RESTAURANTES DO BAIRRO FAZIAM A MELHOR COZINHA DE SAMPA.

    ResponderExcluir
  3. Mineiridade é a honra dialética do Brasil.

    ResponderExcluir