Cidades Históricas de Minas Gerais

É quase impossível conhecer todas as cidades históricas de Minas Gerais em uma só viagem. São mais de 30 localidades, que nasceram por volta do ano 1700 e foram crescendo e prosperando, com histórias marcadas pela descoberta do ouro e das pedras preciosas, pela escravidão e pela Inconfidência Mineira. Há opções para todos os gostos, das conhecidas e badaladas Ouro Preto, São João Del-Rei e Diamantina até as simples e pacatas Catas Altas, Macacos e Lavras Novas. O Estado possui o maior acervo barroco do Brasil, e cidades como Diamantina e Ouro Preto são Patrimônio Cultural da Humanidade. A religiosidade está presente nas suas ricas e belíssimas igrejas e nas festas populares.

Mostramos aqui roteiros que partem de quatro capitais, seguindo o caminho mais curto para a primeira cidade histórica e, depois, programando a viagem conforme o número de dias disponíveis.

Saindo de São Paulo
Siga pela rodovia Fernão Dias até Lavras e pegue a saída para a BR-365 – que segue para São João Del-Rei e Tiradentes, parte do Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes. Entre as 20 cidades do roteiro, destacam-se São João Del-Rei, Tiradentes, Prados, Barbacena, Antonio Carlos, Nazareno e Carrancas. No escritório do Circuito, mantido por uma ONG, há vários folhetos e o atendimento é perfeito.
São João Del-Rei tem uma das melhores estruturas turísticas de Minas Gerais, com muitos hotéis, pousadas, restaurantes, bancos e oficinas mecânicas. Para conhecer bem a cidade, percorra a pé o centro antigo, saindo da parte alta e seguindo até as imediações da estação de trem. Reserve um tempo maior para a Igreja de São Francisco de Assis, com projeto atribuído a Aleijadinho. Há um imenso jardim com palmeiras imperiais e as ¬ figuras de sua fachada são todas esculpidas em pedra-sabão. O sineiro Nilson e o pintor Moacir são duas figuras que provavelmente você encontrará na porta da igreja. A culinária local é uma amostra de toda a cozinha mineira, com assados, cozidos, paneladas, doces, biscoitos, compotas e licores – mas há quatro quitutes que você só vai encontrar lá: o bolinho de feijão, o tejucano, o torresminho com angu e o pirulito de mel são receitas preservadas há gerações. Não deixe de fazer o passeio de maria fumaça até Tiradentes. Os trens são os últimos no mundo que usam a bitola de 60 centímetros.

Saindo do Rio de Janeiro
Siga pela BR-040 na direção de Belo Horizonte e comece o roteiro histórico pela cidade de Barbacena. O estilo barroco está presente na Matriz de Nossa Senhora do Rosário, na Câmara Municipal e no Museu de Barbacena – antiga residência dos Penas (entre eles, o Visconde de Carandaí). Uma construção mais moderna, mas que também merece uma visita, é a estação ferroviária. Depois, continuando em direção a BH, pare em Congonhas – cidade conhecida mundialmente pelos 12 apóstolos em tamanho natural que ficam nas escadarias da Basílica Santuário do Bom Jesus de Matosinhos e foram esculpidos em pedra-sabão por Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Na alameda em frente à Basílica há seis capelas com 66 imagens em madeira representando a Paixão de Cristo. De Congonhas em diante, as opções são muitas: Ouro Branco, Catas Altas, Lavras Novas e Ouro Preto – todas a menos de 100 quilômetros de distância.

Saindo de Belo Horizonte
Entre as capitais, BH é o melhor ponto de partida para visitar as cidades históricas de Minas. Fica a somente 19 quilômetros de Sabará e a 290 quilômetros de Diamantina. Outro bom roteiro a partir da capital inclui a cidade mais conhecida Ouro Preto, além de Mariana e Catas Altas – nessa última, reserve um pernoite no Santuário do Caraça e confira a visita dos lobos-guarás, que se alimentam nas escadarias da igreja. Ouro Preto é a maior e mais importante cidade histórica de Minas. Conhecida mundialmente pela arquitetura barroca, recebeu em 1980 o título de Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. O conjunto de igrejas, casarões, ladeiras estreitas e calçadas em pedra nos remete aos tempos do Império. Lamentável é o transito caótico nas antes pacatas ruelas.

Saindo de Vitória

A saída da capital do Espírito Santo é feita pela BR-262 sentido Belo Horizonte. Recomendamos uma parada na cidade de João Monlevade. Mesmo sem construções coloniais como outras cidades do roteiro, nela foi implantada, em 1825, uma das primeiras fundições do Brasil. O responsável por essa fábrica foi o francês Jean Antoine de Monlevade, e o solar onde ele morou está preservado e aberto a visitantes. Algumas peças da primeira forja ainda estão na propriedade.

Fonte da Matéria:http://motorshow.com.br/cidades-historicas-de-minas-gerais/

Nenhum comentário:

Postar um comentário