Minas são muitas.... poema de Guimarães Rosa

Minas, Minas Gerais,inconfidente, brasileira, paulista, emboaba, lírica e sábia, lendária, épica, mágica, diamantina, aurífera,
errífera, ferrosa, férrica, balneária, hidromineral, jê,
puri, acroá, goitacá, goianá, cafeeira, agrária, barroca,
luzia, árcade, alpestre, rupestre, campestre, de el-rei,
das minas, do ouro das minas, das pretas minas, negreira,
mandigueira, moçambiqueira, conga, dos templos, santeira,
quaresmeira, processional, granítica, de ouro em ferro,
siderúrgica, calcárea, das perambeiras, serrana bela,
idílica, ilógica, translógica, supralógica, intemporal,
interna, leiteira, do leite e da vaca, das artes de Deus,
do caos calmo, malasarte, conjuradora, adversa ao fácil,
tijucana, januária, peluda, baeteira, tapiocana, catrumana,
fabril, industriosa, industrial, fria, arcaica, mítica,
enigmática, asiática, assombrada, salubre e salutar,
assobradada, municipal, municipalíssima, paroquial, marília
e heliodora, de pedra-sabão, de hematita compacta, da
sabedoria, de Borba Gato, Minas joãopinheira, Minas plural,
dos horizontes, de terra antiga, das lapas e cavernas, da
Gruta de Maquiné, do Homem de Lagoa Santa, de Vila Rica,
franciscana, barranqueira, bandoleira, pecuária, retraída,
canônica, sertaneja, jagunça, clássica, mariana, claustral,
humanista, política, sigilosa, estudiosa, comum, formiga e
cigarra, labiríntica, pública e fechada, no alto afundada,toucinheira, metalúrgica, de liteira, mateira, missionária,
benta e circuncisa, tropeira, borracheira, mangabeira,
comboieira, rural, ladina, citadina, devota, cigana,
amealhadora, mineral e intelectual, espiritual, arrieira,
boiadeira, urucuiana, cordisburguesa, paraopebana,
fluminense-das-velhas, barbacenense, leopoldinense,
itaguarense, curvelana, belo-horizontina, do ar, do lar, da
saudade, do queijo, do tutu, do milho e do porco, do angu,
do frango com quiabo, Minas magra, capioa, enxuta,
groteira, garimpeira, sussurrada, sibilada, Minas plenária,
imo e âmago, chapadeira, veredeira, zebuzeira, burreira,
bovina, vacum, forjadora, nativa, simplória, sabida sem
desordem, sem inveja, sem realce, tempestiva, legalista,
legal, governista, revoltosa, vaqueira, geralista,
generalista, de não navios, de não ver navios, longe do
mar,

Minas sem mar, Minas em mim: Minas comigo. Minas.

Texto publicado na revista “O Cruzeiro”, em 25 de agosto de
1957 por Guimarães Rosa

Fotografia de Sérgio Mourão

Nenhum comentário:

Postar um comentário