Conheça Lambari, estância hidromineral e uma das mais lindas e importantes cidades do Circuito das Águas de Minas Gerais.

Fotografia de Fernando Campanella 

Lambari é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Em 2016 sua população foi estimada pelo IBGE em 20.773 habitantes. É uma estância hidromineral. Faz parte do famoso Circuito das Águas de Minas Gerais.
Entrada de Lambari. Fotografia de Joseane Astério

Breve histórico
As águas minerais foram descobertas em 1780 pelo fazendeiro Antônio de Araújo Dantas quando, aos pés da serra que separa a estância de sua vizinha Campanha da Princeza (atual Campanha), encontrou nascentes em terrenos que havia comprado. Em 1826 um português chamado Dr Manuel da Silveira Rodrigues fez os primeiros estudos das qualidades medicinais da águas.Desse modo entre 1830 e 1832, a Câmara de Campanha desapropriou uma área de doze alqueires dos herdeiros de Antônio de Araújo para executar obras de proteção das fontes.

O povoado certamente foi fundado em 1834 pelo médico Inglês Thomaz Crockane, que radicado em Campanha, se interessou em clinicar com o uso das águas, e daí então se mudando para o lugar das fontes mandou erigir as primeiras casas de hospedaria e repouso para quem buscava cura nas "águas santas" ou Águas Virtuosas como ficou mais Conhecida.

No local ainda mais tarde (1852 a 1873)fora construída uma capela dedicada a Nossa Senhora da Saúde

O povoado foi distrito de Campanha de 1859 até 1901, quando foi Criado o município já com o nome de Lambari e com 3 distritos, o da sede "Vila de Águas Virtuosas", o do "Bom Jesus do Lambari" (atual Jesuânia) e o de Conceição do Rio Verde.

A cidade foi planejada na virada do século pelo político e escritor fluminense Américo Werneck (1855-1927), então recém-exonerado do cargo de prefeito de Belo Horizonte. De nobre estirpe, sonhou alto e conquistou muito apoio para financiar sua ambiciosa empreitada de construir - do zero - uma cidade planejada, com parques, mirantes, modernas edificações públicas, ruas largas, um enorme lago artificial - onde então só se viam depressões irregulares - e para coroar a majestosa obra, um magnífico palácio barroco defronte o novo corpo d'água, para sediar o governo de um novo estado que pretendia fundar no sul das Minas Gerais que, segundo diziam, abrangeria diversas estâncias, desde Caxambu até a atual Poços de Caldas.

Nota: Julgando-se mais apropriado o nome Águas Virtuosas foi substituído pelo anterior e antiquíssimo topônimo Lambari pela Lei Nº 9804 de 27 de dezembro de 1930, (pois pela lei município e sede deveriam ter o mesmo nome). No entanto, até hoje existem pessoas que pregam a volta do nome Águas Virtuosas.
Fotografia de JPMendonça Fotografia

Turismo
A cidade é bastante procurada pelas suas destacadas belezas naturais, clima e principalmente pela água mineral, eleita no passado como a 3ª melhor do mundo e capaz de curar doenças. Há, originalmente, sete fontes dentre as quais a Nº 1 e Nº 2 compõem a maior fonte de água mineral naturalmente gasosa do mundo.

O destaque alimentício é o requeijão Catupiry, criado pelo imigrante italiano Mário Silvestrini e sua esposa Isaíra, em 1911. Hoje o requeijão genuinamente brasileiro é provado por todo o mundo e o único requeijão cremoso brasileiro citado pelo Dicionário dos Queijos da enciclopédia Larousse.

E é na cidade onde se encontra o maior exemplar conhecido de Bougainvillea (ou Primavera) do mundo; estando á beira do lago Guanabara; de tão grande virou árvore frondosa de 18 metros de altura.
Trenzinho turístico na cascada do lago do Cassino. Fotografia de Henry Yo

Pontos turísticos
Palácio do Cassino do Lago.
Palácio do Cassino do Lago;
Farol do Lago;
Parque das Águas;
Parque Wenceslau Braz;
Lago Guanabara;
Duchas e Cascata;
Parque Estadual Nova Baden (reserva ambiental natural e museu, 4 km da cidade);
Mata Municipal (reserva da mata Atlântica);
Rampa de asa delta na Serra das Águas;
Cruzeiro;
Igreja Matriz Nossa Senhora da Saúde;
Gruta Toca Da onça (Serra das Águas);
Gruta do Chapéu (Serra das Águas);
Cachoeiras[editar | editar código-fonte]
Roncador (Estrada Lambari/Jesuânia)
Sete Quedas (ao redor do Parque Estadual Nova Baden)
Cachoeira Serra das Águas, ou "Cachoeira do Mudinho"
João Gonçalves (estrada Lambari/Jesuânia)
Festividades[editar | editar código-fonte]
Inverno Gastronômico, (final de julho)
Festa da Padroeira Nossa Senhora da Saúde (15 de Agosto)
Procissão de Corpus Christi
Congadas (Primeira quinzena de Maio)
Carnaval - (É considerado um dos melhores do Sul de Minas)
Aniversário da Cidade (16 de setembro)
Moto Fest (encontro de Motociclistas - 3ª semana de outubro)
Igreja de N. S. da Saude. Fotografia de Joseane Astério

Rodovias
BR-460 - Liga Lambari a Rodovia Vital Brasil em Cambuquira (15 Km) e Lambari a São Lourenço (50 Km), foi inaugurada em 1964, substituindo a antiga ferrovia;
MG-456 - (Rodovia Prefeito Renato Nascimento) Liga Lambari a Rodovia Fernão Dias em Careaçu (40 Km), foi inaugurada em abril de 1990;
Estradas vicinais - São 22 ligando a cidade aos bairros rurais e estes a outros bairros e também municípios vizinhos, com mais de 200 km de estradas.
Nota: A antiga ferrovia "Ramal Campanha" de Rede Sul Mineira (anteriormente Minas and Rio Railway), Chegou a Lambari quando ainda era distrito de Campanha em 1894. O progresso trazido pela linha do trem fez a vila imediatamente prosperar com maior fluxo de turistas aumento do comércio e construção de vários hotéis. Passados 70 anos de pleno funcionamento em 1964 a ferrovia foi desativada julgando-a ser deficitária.

Linhas de ônibus
Viação Santa Cruz: Lambari - varginha - São Lourenço - São Paulo;
Viação Gardênia: Lambari - Belo Horizonte - Pouso Alegre;
Viação Cidade do Aço: Lambari - Três Corações - São Lourenço;
Viação Útil: Lambari - Rio de Janeiro;
Viação Cometa: Lambari - São José dos Campos.
Fotografia de Adriano Carlos 

Patrimônio histórico
Palácio do Cassino (1911) Tombado;
Farol do Lago (1911) Tombado;
Prédio da Escola Dr João Bráulio Jr. (1930) Tombado;
Prédio da Escola Profª. Maria Rita (a construção original remonta 1900, mas a fachada é de 1942) Tombado;
Prédio da atual Prefeitura (foi construído no final do séc. XIX para abrigar um grande gerador de energia) tombado;
Imagem de N. S. da Saúde (séc. XVIII) tombada;
Coreto do Parque (1905);
Fonte Luminosa (1955);
Prédio do Hospital (1916);
Igreja Matriz (1955);
Igreja Presbiteriana do Brasil (1950);
Pousada do Duque,antigo Hotel Bibiano (1928);
Cruzeiro (1935);
Capela de São Benedito da Vila Nova (1916);
Capela de N. S. da Conceição da Capelinha - zona rural (seus alicerces remontam 1902);
Capela do São João - zona rural (1932);
Cemitério Municipal (1914);
Cemitério da Capelinha - zona rural (1925);
Casarão colonial sede da antiga fazenda dos Pinheiros, atual museu do Parque estadual de Nova Baden (1890);
Quinta de veraneio do cientista Vital Brasil (residência particular) na Rua Pref. Renato Nascimento nº 93, ao lado do Edifício Vital Brasil (década de 1900);
Casarão colonial (residência particular) na rua Jairo Ferreira nº 84, no Centro "Rua do Escadão" (é a residência mais antiga da cidade, feita de pau a pique há mais de 200 anos) (FonteWikipedia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário