Conheça a Igreja Matriz de Santo Antônio em Tiradentes. A mais rica igreja em ouro, no Brasil.

A Matriz de Santo Antônio de Tiradentes teve a sua construção iniciada em 1710, no lugar de uma pequena capela bandeirante, que foi a primeira Matriz da Comarca do Rio das Mortes. Em 1732 a Irmandade do Santíssimo Sacramento, em petição à Coroa Portuguesa, diz estar a igreja construída, faltando o forro e o assoalho. Na verdade, em 1733, o entalhador João Ferreira Sampaio trabalhava no altar-mor e em 1736/37 na obra de talha dos muros da capela-mor e arco-cruzeiro. Parece que em 1752 a igreja já estava concluída internamente, pois o pintor Antônio de Caldas, recebia, neste ano, 7.200 réis pelo douramento da igreja.
Fotografia de Ismael Libânio Neto
A igreja foi construída sobre uma colina e com grande aterro na parte fronteira, sua fachada, com duas torres bem desenhadas e frontão composto por duas largas volutas é ornamentada com rocalhas e encimadas por pináculos. No centro do acrotério existe uma cruz da cantaria, ladeada por dois globos flamejantes. Este frontespício foi construído em 1810/16, sob risco do Aleijadinho. O mestre da obra foi Cláudio Pereira Viana, que não só executou este serviço, como também a escadaria e balaustrada do adro, entre 1818 e 1820. Toda fachada foi executada em taipa, tijolos e argamassa, inclusive os ornatos rococó.O interior de igreja guarda seis altares laterais e o altar-mor.
Fotografia de César Reis 
A talha da capela-mor é, sem dúvida, um dos melhores exemplares de talha barroca D. João V no Brasil e representa uma exceção no desenvolvimento da arte da talha em Minas Gerais, pela sua monumentalidade e pelo inusitado das formas.

O primeiro altar à direita de quem entra é dedicado a Nossa Senhora do Terço.O segundo é dedicado a Nosso Senhor dos Passos. O terceiro dedicado a São Miguel Arcanjo.

No primeiro altar do lado esquerdo existe uma imagem de Nossa Senhora da Piedade, com Cristo nos braços. . O segundo é dedicado ao descendimento do Senhor da Cruz. O terceiro dedicado à Imaculada Conceição.

No ano de 1786 a Irmandade do Santíssimo Sacramento, fabriqueira da Matriz, encomendou um órgão novo em Portugal, para substituir um pequeno órgão existente no coro da Matriz. Manoel Jorge Ribeiro fez a encomenda a seu irmão Domingos Jorge Ribeiro, que vivia no Porto e este adquiriu de Simão Fernandes Coutinho, a parte mecânica de um órgão médio, que chegou em agosto de 1788.
O entalhador Salvador de Oliveira foi contratado para desenhar a caixa do órgão e trabalhar na talha. A pintura e o douramento do órgão foram executados por Manoel Victor de Jesus em 1798.

O forro da nave da igreja, de autor desconhecido, contituído por caixotões artesoados tem dezoito quadros com símbolos bíblicos cercados de folhagens e grotescos em outro. O assoalho da Matriz foi feito em óleo bálsamo em campas numeradas de 01 a 116. Nestas sepulturas estão enterradas pessoas de todas as classes sociais, desde nobres até escravos.

No adro existe um relógio de sol feito em pedra sabão em 1785, por Leandro Gonçalves Chaves. Numa das torres existe um outro relógio comprado em Portugal no ano de 1788. É famosa a prataria da igreja, mormente as sete lâmpadas e os tocheiros do altar-mor. A lâmpada grande foi executada em 1740 no Rio de Janeiro e pesa 55 quilos e os tocheiros da banqueta também originários do Rio, datam de 1770/71.

Informações:
Endereço: Rua Padre de Toledo
Visitação: Diariamente 9h às 17h.

Fonte das informações: Site Catolicismo Romano

Nenhum comentário:

Postar um comentário