Melão de São Caetano: propriedade medicinais e efeitos colaterais.



Nome científico: Momordica charantia L.

Família: Cucurbitaceae.


Sinônimos botânicos: Cucumis argyi H. Lév., Momordica chinensis Spreng., Momordica elegans Salisb., Momordica indica L., Momordica operculata Vell., Momordica sinensis Spreng., Sicyos fauriei H. Lév.

Outros nomes populares: balsamina-longa, caramelo, erva-de-são-caetano, erva-de-lavadeira, erva-de-são-vicente, fruto-de-cobra, fruto-negro, melão-de-são-caetano-gigante, melãozinho, meloeiro-de-são-caetano, quiabeiro-de-angola, bittergurke (alemão), balsamina (espanhol), pomme de merveille (francês), balsam pear (inglês).

Constituintes químicos: momordicina (alcalóide), momordipicrina, ácido mormódico, b-alanina, fenilalanina, b-amirina, arginina, lignano-calceolariosídeo, a-caroteno epóxido, b-caroteno, esteróide-charantina, criptoxantina, triterpenos-momordicina, taraxerol, momorcharisídeos A e B, diosgenina, p-cimeno, ácido gentísico, momordica charantia lectina, momordica aglutinina, fator citostático de momordica, inibidor de tripsina momordica, neroldiol, V-insulina, P-insulina, b-sitosterol, derivados de stigmasterol, 5-hidroxitriptamina, verbascócido, vicina e o alcalóide zeatina.
Fruto: polissacarídeos (com 16% de ácido galacturônico).
Sementes: aminoácidos ácido glutâmico e glicina

Propriedades medicinais: adstringente (raiz), adstringente da cútis, afrodisíaca, aperitiva, estomáquica, anticarbunculosa, anti-helmínticos (frutos), anti-hemorroidário, antidiabética, antimicótica, antifebrífugos e antipalúdicos (frutos), antivenéreos (frutos cozidos), antileucorréico, anti-reumática, antiflatulenta, anticatarral, antipirética, cicatrizante (folhas pulverizadas), colerética, depurativa do sangue, emenagoga, emético (folhas), emeto-catárquico, emoliente, estomáquico, febrífuga, hemostáticos (fruto maduros), hipotensora, hipoglicêmica (folhas), laxante, purgativo (folhas), rubefaciente, supurativa, vomitivos (frutos cozidos), vermífugo, vermicida.

Indicações: afecções biliares, catarata, cólicas abdominais, colite, cravos, dartro, dores de ouvido, dor reumática, escabiose, enxaquecas, febre, fígado, gogo das aves, hemorróidas (especialmente a raiz), infecções da pele, irrigação vaginal, leucorréia, malária, menstruações difíceis, mordida de serpentes, morféia, problemas de pele (eczemas, acne, sarna e furúnculos), picadas de insetos, problemas gástricos, pruridos, queimaduras, resfriado, reumatismo, úlceras malignas, vermes.

Parte utilizada: Frutos, hastes, folhas e arilo das sementes.

Contra-indicações/cuidados: gestantes, nutrizes e crianças; as sementes contém compostos tóxicos, não devendo ser ingeridas em grandes quantidades.

Efeitos colaterais: causa queda drástica da taxa de glicose sangüínea em poucas horas; pode ter ação teratogênica; in vitro, é um inibidor da síntese protéica; pode causar aborto; alguns autores afirmam que meia colherada do sumo do fruto maduro pode matar um bezerro grande em 16 horas, depois de apresentar vômitos e diarréia; constatou-se lesões testiculares em cães e alterações sobre os parâmetros sangüineos em suínos. 


Modo de usar:
- frutos cozidos: vomitivos e antivenéreos.
- frutos maduros em cataplasmas: hemostáticos.
- suco das folhas: emético, purgante, mordida de serpentes e afecções biliares.
- raiz: adstringente.
- decocção das folhas: infecções da pele.
- infusão das folhas (forte): escabiose, picadas de insetos, malária, pruridos e úlceras malignas
- infusão da planta inteira: resfriado
- folhas e frutos: gogo das aves
- infusão de 10 g de folhas secas por litro de água: leucorréia, menstruações difíceis e cólicas causadas por vermes.
- infusão do fruto: hemorróidas.
- ungüento: arilo contuso misturado com vaselina: tumores, furúnculos e carbúnculos.
- suco: machucar as folhas verdes em óleo de amêndoas doces: queimadura.
- suco puro das folhas: sarna.

Fonte:http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Momordica_charantia.htm



CHÁS


Modo de preparo
Em um recipiente, coloque 1 litro de água e leve ao fogo. Em seguida adicione 2 colheres de sopa da erva melão de são caetano e deixe ferver. Quando começar a ferver, desligue o fogo e tampe, deixando o chá abafado por aproximadamente dez minutos. Em seguida, você pode coar e consumir. A dose máxima indicada é de duas a três xícaras de chá por dia.

Contraindicações e efeitos colaterais

O consumo não é indicado para pacientes gestantes ou em fase de lactação, além de crianças. É contraindicada ainda para aqueles que querem ter filhos, diabéticos e portadores de diarreia crônica.
Atenção, as sementes possuem compostos tóxicos e, portanto, não devem ser consumidas em grandes quantidades. Pode causar queda drástica da glicose sanguínea, aborto e pode ter ação teratogênica.
Quando em excesso, pode causar vômito e diarreia e, de acordo com algumas fontes, apenas meia colherada do sumo do fruto maduro pode causar a morte de um bezerro grande em menos de um dia.
Não deve ser consumida em conjunto com clorpropamida, drogas antidiabéticas e drogas redutoras do colesterol, pois potencializa seus efeitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário