Cultura Mineira

Corte de Reinado em Bom Despacho MG. Tradição Mineira. Fotografia de Arnaldo Silva

A diversidade cultural de Minas Gerais é uma das riquezas e um dos patrimônios mais importantes do Brasil. E se delimitarmos apenas a produção cultural dos seus 835 municípios, chegaremos a uma infinidade de elementos, muitas vezes desconhecidos pelos moradores locais, como pelos habitantes dos outros estados.

Muito mais do que explorar turisticamente e economicamente os aspectos
 culturais de Minas Gerais, deve-se ter em mente que é necessária a valorização de todos os bens culturais e a apropriação desses, por parte de quem vive no estado, para que então seja reconhecida a dimensão simbólica e cidadã que o patrimônio cultural tem.

Arquitetura de Ouro Preto. Fotografia de Arnaldo Interata

O Estado de Minas Gerais detém boa parte do patrimônio histórico nacional e suas cidades centenárias contêm importantes registros materiais que narram episódios importantes da história do Brasil além de serem palco para manifestações artísticas. O Estado também reúne enorme acervo arquitetônico e artístico do período colonial preservado nas cidades de Ouro Preto, Diamantina e Congonhas do Campo, verificado pelas obras em estilo Barroco, nas quais se destacam os trabalhos de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Mestre Athaíde.


Artesanato mineiro. Arte em Cerâmica do artesão João Alves, de Taiobeiras MG

As manifestações folclóricas em Minas têm suas origens nas tradições, nos usos e costumes dos colonizadores portugueses, com forte influência das culturas indígena e africana. Essas influências estão presentes no artesanato, na culinária, nas danças típicas, nas músicas, na literatura, e no folclore, com as manifestações populares. Em contraposição a esse aspecto cultural tão ímpar e tradicional, Minas também é um estado de aspectos modernos e contemporâneos verificados na tecnologia, nas artes, na arquitetura, música e teatro que se fazem atingíveis em todo o Brasil, com reconhecimento internacional.


Congadeiros. Pintura do artista plástico José Rosário

Minas é um estado que soube usar todas as suas influências, que soube atrair olhares para sua região, que resultaram na produção de uma sociedade tão autêntica nas suas manifestações e expressões culturais. No campo do folclore, as crendices e superstições dos mineiros são cultivadas de geração em geração, como por exemplo, a crença de que deixar roupas pelo avesso causa “atrasos à vida”. A medicina popular também é outra marca de Minas, com a procura por benzedeiras para fazer chás, simpatias, banhos e benzimentos com a finalidade de solucionar problemas de saúde.



Feijão tropeiro

A culinária mineira com seus pratos deliciosos (feijão tropeiro, o angu de milho verde ou de fubá com frango, a paçoca de carne seca, farofas) cria hábitos e costumes na sua população. Culinária essa que caracteriza-se por ser agradável e se unir à hospitalidade conhecida do mineiro, que oferece ao seu visitante seus pratos típicos que atravessaram séculos e encontram-se em muitas das mesas mineiras. Em algumas cidades do interior, costuma-se preparar a quitanda, onde vários quitutes (bolos, pão de queijo, biscoitos etc) são preparados juntos aproveitando o calor do forno à lenha. As comidas mineiras são a mistura de influências das comidas indígenas, dos escravos africanos, dos portugueses, dos tropeiros.



De Minas saíram várias maneiras do mundo, do próprio estado e do Brasil serem lidos, através das páginas de escritores mundialmente conhecidos, como Carlos Drummond de Andrade. De Minas, floresceram os ideais de liberdade que espalharam-se pelo Brasil. Foram feitos pratos ao sabor mineiro para o Estado ser saborosamente degustado, saíram formas do mundo ser representando, pelas mãos de Aleijadinho, e o sonho do homem voar surgiu da criação de Santos Dumont, sem mencionar os grande feitos de Pelé no futebol.


Foto aérea da Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte. Fotografia de Alberto Andrich  BCMF

A listagem de bens materiais mineiros que estão na Lista do Patrimônio Mundial reconhecidos pela Unesco é extensa. Outros patrimônios foram tombados na esfera nacional, através do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico, Artístico Nacional), estando localizados nas cidades de Ouro Preto, Congonhas do Campo, Belo Horizonte, em Sabará, em Cataguases etc. Sendo esses patrimônios representados por conjuntos arquitetônicos de importância e referência histórica, conjuntos paisagísticos, diversas igrejas, capelas e imagens sacras.


Conversando na estação. Pintura do artista plástico José Rosário
Talvez o jeito mineiro seja muito mais do que o jeito tranquilo e agradável de falar. É o jeito de se expressar, de se fazer representar. O jeito mineiro vai além do tradicional pão de queijo, vai além das diversas igrejas e imagens tombadas como patrimônio cultural, vai além da arquitetura. Influenciados por diversos costumes construídos através do tempo e das relações sociais, e apurados pelas fronteiras com outros estados, os mineiros foram construindo seus hábitos. E a partir de tudo isso foi produzida a cultura mineira, com diversos ingredientes se mesclando continuamente.

Fonte: Portal Online do Governo de Minas Gerais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário