sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

A Cordilheira do Espinhaço: os Alpes Mineiros

A Cadeia de montanhas que forma a Cordilheira do Espinhaço que inicia na região do Caraça e se estende até a divisa com o Sul da Bahia, é chamada de Alpes Mineiros. A palavra alpes é famosa na Europa, pelo maciço de montanhas que se estende por várias países desse continente. A cadeia de montanhas que formam a cordilheira do Espinhaço, são nossos Alpes.(a foto acima, de Eduardo Gomes, mostra a Serra do Espinhaço em Francisco Sá, no Norte de Minas)
O ponto mais alto da serra é o pico do Sol com 2.072 metros, localizado no Parque Natural do Caraça no município de Catas Altas, (na foto acima de Alexandre Pastre) estado de Minas Gerais, parque que ainda abriga o pico do Inficionado com 2.068 metros, o pico da Carapuça com 1.955 metros, e o pico da Canjerana com 1.890 metros. Além desses, a serra ainda abriga outros picos famosos como o pico do Itambé com 2.002 metros e o Pico do Itacolomi com 1.772 metros, também em Minas Gerais.
A serra do Espinhaço pode ser considerada a única cordilheira do Brasil, pois é singular em sua forma e formação. (na foto acima de Manoel Freitas, a Serra do Espinhaço em Itacambira, Norte de Minas) Há mais de um bilhão de anos em constante movimento, é uma cadeia de montanhas bastante longa e estreita, entrecortada por picos e vales. Tem cerca de 1000 km de extensão, no sentido latitudinal do Quadrilátero Ferrífero, ao Norte de Minas e, depois de uma breve interrupção, alcança a porção sul da Bahia. Todo esse percurso apresenta uma diferença mínima de longitude, ou seja, sua largura varia apenas entre 50 e 100 km. 
A serra do Espinhaço (na foto acima de Tiago Geisler, o Pico do Itambé em Itambé do Mato Dentro MG) foi considerada pela ONU em 27 de junho de 2005 a sétima reserva da biosfera brasileira, devido a sua grande diversidade de recursos naturais; mostrando-nos a importância de protegê-la. Mais da metade das espécies de animais e plantas ameaçados de extinção em Minas Gerais estão nas cadeias do Espinhaço. Especialmente na serra do Cipó, onde se encontra o maior número de espécies endêmicas da flora brasileira.
 Na Serra do Cipó, praticamente no início dos nossos Alpes, está Lapinha da Serra (O céu, a água, a terra e a serra se misturando no horizonte - Alto do Espinhaço - Santana do Pirapama-MG, por Igor Messias), um dos lugares da região do Espinhaço e Serra do Cipó mais visitados em Minas Gerais. Vamos conhecer.
Distrito de Santana do Riacho, a Lapinha da Serra (na foto acima de Tom Alves - www.tomalves.com.br) está localizada na região da Serra do Cipó e faz parte da APA (Área de Preservação Ambiental) Morro da Pedreira, cinturão de proteção do Parque Nacional da Serra do Cipó. Integra o circuito da Estrada Real e está a 143 Km de Belo Horizonte. Alguns a chamam Lapinha da Serra, os moradores mais antigos Lapinha de Belém.
Na década de 80 surgiram os primeiros turistas (mochileiros) que passavam por lá para seguir até a Cachoeira do Tabuleiro em Conceição do Mato Dentro.(fotografia acima de Marcos Amend)
No início da década de 90 o número de turistas já era considerável, aumentando ainda mais em 1999 quando foi aberta a estrada que liga Santana do Riacho à Lapinha, onde antes era praticamente impossível o tráfego de automóveis comuns. 
Desde então começaram a aparecer os primeiros problemas, como turistas acampando nas nascentes, às margens da represa, das cachoeiras e dos rios, deixando lixo, desordem e depredação ao meio ambiente. (na foto acima de Marcelo Santos, os paredões do Espinhaço na Serra do Cipó) Assim, os moradores sentiram a necessidade de se organizarem para discutir e tentar resolver tais problemas. Hoje não é mais permitido o acampamento nas nascentes, áreas de coleta de água, áreas públicas, facilitando a solução de vários problemas da comunidade. 
A Lapinha (foto acima de Marcelo Santos) possui cerca de 300 habitantes que vivem da agricultura de subsistência e do turismo. Possuindo inúmeras belezas naturais, a região atrai visitantes para conhecer as cachoeiras, lagos, grutas, rios, picos, sítios arqueológicos, fauna, flora e o principal, as pessoas e a sua cultura local. 
É tradição do povoado os festejos religiosos para comemorar o dia do padroeiro da Lapinha, “São Sebastião”, o dia de São Pedro, o dia de Santa Cruz, a festa de Nossa Senhor a da Aparecida, a comemoração do mês de Maria e as festas juninas. (na foto acima, do Barbosa, a capela e o casario da Lapinha)
Fonte do texto:http://www.guiadalapinha.com.br/Main.aspx e Wikipédia

4 comentários:
Faça também comentários
  1. Muito legal nossa Lapinha! e se por acaso vier conhecer, hospede-se conosco: https:
    //www.facebook.com/Casa-do-Bianchi-Morada-do-Vento-219832058086345/?ref=settings

    ResponderExcluir
  2. Conhecemos, adoramos, subimos a montanha e visitamos as pinturas rupestres.

    ResponderExcluir
  3. Conhecemos, adoramos, subimos a montanha e visitamos as pinturas rupestres.

    ResponderExcluir