quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Super dicas para conhecer o Ibitipoca

Compartilhe:

Sabe aqueles lugares mágicos e encantadores, cheio de cores que parecem não ser desse mundo? Aqueles lugar que você chega a duvidar se realmente existem? E o melhor de tudo: esse paraíso fica no Brasil! 
Estamos falando de Conceição do Ibitipoca! (na foto acima de Marlon Arantes)  Encravada no meio de montanhas bem altas na zona da mata mineira, a vila é porta de entrada de uma das mais belas reservas ambientais do Brasil, O Parque Estadual do Ibitipoca. Um lugar onde a exuberância da natureza é surpreendente e deixa seus visitantes de queixo caído. Portanto, para te ajudar a conhecer esse paraíso, reunimos um post com as principais dicas para você curtir Ibitipoca e desbravar toda a beleza do Parque Estadual. Então vamos lá!
Você já sentiu isso? Aquela sensação de êxtase quando se atinge um pico? Ou mesmo aquela sensação de perplexidade quando você se depara com uma paisagem estonteante? 
Assim é como a maioria dos visitantes do Parque Estadual do Ibitipoca se sentem ao conhecer suas belezas naturais. (foto ao lado de Lucas Vieira) E tenho certeza de que você também vai se encantar e se surpreender com tudo o que esse paraíso tem para mostrar. (foto acima de Marcos Lamas)
Uma das mais belas reservas naturais do país, escondida na Serra da Mantiqueira, o parque foi criado em 1973 numa área de quase 1500 hectares formada por rochas de quartzito (uma mistura de quartzo com matéria orgânica) que dão uma coloração magnífica em quase toda a paisagem. Situado no vilarejo de Conceição do Ibitipoca, esse recanto mineiro é um dos destinos mais encantadores onde já estivemos.
Afinal, o Parque Estadual do Ibitipoca (na foto acima de Glauco Umbelino, o Paredão do Ibitipoca) possui uma rica fauna e flora que guardam espécies de animais em extinções e algumas plantas exóticas. Isso sem falar nos paredões, penhascos, grutas, trilhas, mirantes, cachoeiras, uma linda vegetação rupestre e belíssimos riachos em tons avermelhados que emolduram todo o cenário. Enfim, um verdadeiro oásis para os amantes da natureza e do ecoturismo.
Quando ir:
Então, a melhor época para visitar o Parque Estadual de Ibitipoca depende do seu intuito. Ele fica numa região de clima tropical de altitude, logo o verão é bem chuvoso e o inverno bastante seco, e as meias estações são bem definidas. (foto ao lado, da Janela do Céu com Shirley Cabral) Ou seja, para curtir as trilhas e visuais, o melhor mesmo é de abril a outubro, pois chove menos deixando o acesso das trilhas mais fácil. Entre novembro a março, as chuvas são mais recorrentes, o que deixa o nível das cachoeiras maiores, sendo melhor para nadar. 
Como chegar: Basta que você siga toda vida pela rua principal, ou melhor, pela ladeira principal de Conceição de Ibitipoca (já que por lá tudo é subida). Você irá passar em frente ao mini “shopping” Portal da Serra e em frente ao camping e restaurante Ibitilua, e é só continuar subindo. Mais à frente haverá um trevo onde você deve pegar a direita, depois é só continuar reto até a entrada do parque. Não tem erro!
A portaria do Parque fica a mais ou menos 3 km do centrinho da vila e até o centro de visitantes são mais 2 km. Ou seja, para quem está sem carro há duas opções: pagar R$10,00 (sujeito a alterações) numa van que sai do centro para o parque, ou ir de “viação canela”. É um belo aquecimento para as trilhas que te aguardam.
Informações importantes:
Visitação:
Agora preste bastante atenção a essas dicas! A visitação do Parque Estadual de Ibitipoca acontece de terça a domingo das 7h às 18h, a não ser nas férias escolares quando o parque funciona todos os dias, e quando é feriado segunda. Nesse caso o parque fecha no dia útil seguinte ao feriado.
É cobrado ingressos na entrada. Dias úteis são mais baratos. Fins de semana o valor é maior,  sendo que estudantes e idosos pagam meia entrada. O ingresso só pode ser adquirido na portaria e em dinheiro. Para conseguir manter todas suas belezas naturais preservadas, a visitação ao parque estadual de Ibitipoca é limitada a 300 pessoas em dias de semana e a 800 pessoas nos finais de semana e feriados. Logo, a principal dica é: chegue cedo. Principalmente nos feriados, quando a partir das 8hs a entrada já começa a ficar tumultuada. É comum muita gente ficar barrada sem ingresso.
As cervejas artesanais do Ibitipoca são de alta qualidade e bastante apreciadas.
Estacionamento:
Se para conseguir entrar no parque tem que chegar cedo, para conseguir parar com o carro no estacionamento bem perto do centro de visitantes é preciso quase que madrugar na entrada. Brincadeira! É que o estacionamento, (tem que pagar para estacionar) do Parque Estadual do Ibitipoca é bem pequeno e não consegue atender a todos, principalmente em feriados. + Fotos do Parque Estadual do Ibitipoca.
Enfim, a ladeira de acesso ao parque (e bota ladeira nisso! É umas das mais inclinadas da vila), fica um caos. Ou seja, quanto mais tarde você chega, mais longe e mais para baixo você vai encontrar vaga. E fique a atento as placas de proibido estacionar! (na foto ao lado de Marcos Lamas, a Cachoeira do Y) A polícia florestal costuma multar e reboca os carros estacionados de forma irregular, nós quase tivemos essa infelicidade, mas o guarda chegou a tempo para nos avisar da área proibida.
Acampando no parque:
O Parque Estadual do Ibitipoca também conta com camping dentro de sua área. Nada mais justo, né? O lugar é um destino de ecoturismo e contato com a natureza. Quer mais contato com a natureza do que um acampamento dentro dessa reserva? Cobra-se por pessoa independente do dia da semana. E também é possível alugar alojamentos.
Claro que para poder curtir essa aventura é preciso respeitar várias regras internas do camping, afinal você está dentro de uma reserva ambiental. Logo preste atenção! Uma das dicas mais importantes é que a entrada para o camping é somente até as 17h30. Senão, depois disso a portaria do parque já fechou e quem ficar para fora não consegue mais entrar.
Outro ponto importante é que o Parque Estadual do Ibitipoca também conta com vestiários, lanchonete e restaurante para atender tanto ao visitante quanto ao campista. Para mais informações ou para fazer reserva no camping ligue para (32) 3281-1101.

O que fazer:
Agora, sem mais delongas, você vai entender o porquê esse paraíso é uma das mais belas reservas naturais do Brasil. E cada vez mais, vem atraindo e encantando mais e mais visitantes.
Não bastasse toda a organização para receber e atender aos turistas, o Parque Estadual do Ibitipoca também conta com todas suas trilhas muito bem conservadas e sinalizadas. Afinal, são elas que te levam aos vários e diferentes potes de ouro no final do arco-íris. Sim, potes de ouro! São tantas belezas naturais, diversos cenários cinematográficos e um enorme clima de tranquilidade no ar que nos faz sentir toda a riqueza e perfeição do universo.

Prainha. Fotografia de Márcio Lucinda - Sauá Turismo
Enfim, o parque oferece 3 principais circuitos que passam por diversos atrativos entre rios, cachoeiras, grutas, mirantes, paredões rochosos e muitas outras belezas naturais. Bem, é preciso bastante disposição. Cada circuito tem uma certa extensão e um nível de dificuldade, sendo o mais curto de 5 km. Claro que não é preciso terminar os circuitos, o parque oferece alguns atrativos que ficam bem perto do centro de visitante, ideal para as crianças e idosos.
Logo, a principal dica que podemos dar é: antes de entrar para as trilhas, passe no centro de visitantes, pegue os mapas e se informe das distâncias e dificuldades de cada atrativo. Para conseguir explorar tudo o que o parque tem a oferecer, é preciso no mínimo três dias. Nós só conseguimos fazer dois circuitos. Então, vamos lá:
Circuito das águas:
Esse é o menor e mais fácil circuito do parque, e para ir aquecendo as pernas, foi o que a gente escolheu fazer no primeiro dia. A trilha é por um trajeto circular de 5km com algumas subidas e descidas um pouco inclinadas. Assim que começa o percurso você já fica maravilhado com os tons das colorações das paisagens. Um cenário onde a cor alaranjada reina, o circuito passa por diversos rios e riachos como o lago das miragens, o lago negro e o lago dos espelhos.
Lago dos Espelhos

Depois, a trilha segue para um mirante onde se tem um visual simplesmente fantástico! (foto acima de Marcos Lamas) O riacho de cor vermelha se mistura ao cinza das pedras e ao verde da mata, e se encontra a um enorme paredão rochoso que se estende por cima do rio, formando uma verdadeira ponte de pedra. Magnífico!
Mirante Circuito das Águas
O restante do circuito também não deixa a desejar. Assim que deixar o mirante, você vai atravessar um pedaço dessa ponte de pedra e descer para o riacho, de onde se tem uma vista de toda a magnitude do paredão rochoso. Também é uma obra de arte. Realmente incrível! Faz a gente se sentir insignificante perto de sua grandeza. Daí em diante a trilha é uma subidinha leve beirando o rio até o ponto de partida.

Circuito Janela do Céu:
O nome já diz tudo né? Então se prepare! Afinal, o céu sempre costuma ficar lá no alto. Tão alto que é preciso um pé de feijão mágico para se chegar até lá (hehehe) brincadeiras à parte, o circuito da Janela do Céu é o maior trajeto do parque. São 16km ida-e-volta, onde os primeiros 8km da trilha é todo de subida bem íngreme. (fotografia acima de Marcos Lamas)
Não é para se assustar, mas essa foi uma das trilhas mais cansativas que já fizemos. Começamos o circuito as 8 horas da manhã, e só chegamos de volta às 18 horas da tarde. Mas enfim, valeu muito a pena e você vai ver o porquê agora.
Assim que começamos a trilha o tempo estava bem fechado, com bastante neblina, mas conforme fomos subindo foi se abrindo. Todo o trajeto é cheio de grutas que são ótimas para serem exploradas. Portanto, leve lanterna! Bem que tentamos parar em todas, mas por causa do cansaço, pulamos algumas grutas e seguimos subindo o pé de feijão até a janela do céu.
Trilha Janela do Céu

Enfim o paraíso! (foto acima de Glauco Umbelino) Claro que não é bem assim né? Como fomos visitar o Parque Estadual do Ibitipoca num feriado, o pequeno pedaço do céu estava crowdeado, ou se você preferir, lotado de gente. Tirar uma foto sozinho era uma missão impossível. Ou seja, tivemos que ir conquistando nosso espaço. Afinal, é como diz o ditado: “chegou agora e já quer sentar na janela?”. Mas no fim das contas, conseguimos chegar até a Janela do Céu e sentir um pouquinho da sensação de estar no paraíso.

Depois dessa saga, partimos em direção a Cachoeirinha. Uma linda queda d’água do Rio Vermelho, com aproximadamente 30 metros de altura, que escorre formando o desenho de uma cortina até desaguar numa pequena “praia” de areia branca. Realmente incrível! O Parque Estadual do Ibitipoca reserva várias surpresas fantásticas.
Circuito Pico do Pião:
O terceiro circuito nós infelizmente não conseguimos fazer por falta de tempo. Mas ele é um trajeto de 11km ida-e-volta de nível leve a moderado. Como o circuito da Janela do Céu, o do Pico do Pião também passa em vários outros atrativos como a Gruta dos Viajante e a Lagoa Seca. Todos falam muito bem desse trajeto, dizem que o visual do Pico do Pião é fantástico.
Bem amigos, então é isso. Espero ter conseguido descrever e passar toda a beleza desse lugar fantástico que é o Parque de Ibitipoca. Se você gostou ou acha que algum amigo também possa gostar do post, não deixe de compartilhá-lo. E se tiver alguma dúvida, nos deixe um comentário. Teremos o maior prazer em responde-lo.

--------------------------------------------------------------------
Ilustrações nossa. Fonte do Texto:https://catracalivre.com.br/geral/viagem-acessivel/indicacao/ibitipoca-um-paraiso-nas-montanhas-de-minas-gerais/

Nenhum comentário:
Faça também comentários