Conheça a bela e pacata cidade de Florestal/MG

 A região onde hoje se localiza o município de Florestal era uma área denominada Mata do Sego, sem registro de povoamento. Naquele tempo, Florestal pertencia a Comarca de Sabará. Existia um caminho que ligava Sabará a Mateus Leme e depois seguia até Pitangui. Esse caminho que foi aberto pelos bandeirantes ajudou na conquista de Goiás. Um trecho dessa estrada passava pelos arredores da Serra do Elefante e Serra da Boa Vista.

Os primeiros registros de ocupação das terras do município de Florestal são de 1855. Nesses registros já se encontravam descritos vários nomes de fazendas, localizadas no atual território de Florestal: Cachoeira de Almas e Gameleira, por exemplo, se tornaram distrito e bairro, respectivamente. Até 1911 Florestal esteve subordinada administrativamente a Mateus Leme.
Em 30 de agosto de 1911, pela lei nº556, Florestal foi elevado a distrito,
passando a pertencer a comarca de Pará de Minas. Em 30 de dezembro de 1962, pela lei nº 2764, Florestal se emancipou de Pará de Minas e passou à condição de cidade e, em 1º de março de 1963, foi instalado o município.
O primeiro nome do povoado, segundo algumas fontes, foi “Guarda-Mor Salles”, em homenagem a Francisco Salles de Almeida. Ele e suas irmãs eram proprietários da fazenda Natividade. No entanto, não existe nenhum registro oficial dessa versão da história.

O dono da fazenda Cachoeira, em Florestal, Coronel Domingos Justino Ribeiro, que era Agente Executivo e Presidente da Câmara de Pará de Minas foi contemporâneo do Guarda-Mor. Coronel Domingos era pai de Benedito Valadares Ribeiro, que nasceu na fazenda Cachoeira em 1892.
De 1922 a 1930, Benedito Valadares foi representante de Florestal como vereador na Câmara de Pará de Minas.
Na Revolução de 1930, Benedito destituiu o tenente Júlio de Melo Franco da prefeitura de Pará de Minas e três anos depois foi nomeado pelo Getúlio Vargas como interventor do governo de Minas Gerais.
Em abril de 1935, Benedito Valadares foi eleito pelos deputados constituintes mineiros como governador constitucional do estado, ocupando o cargo até outubro de 1945.
De 1936 a 1939, Benedito construiu e inaugurou a Fazenda-Escola de Florestal, que tinha como objetivo a formação técnica e profissional de capatazes e administradores para o meio rural.
Para a construção da Escola, Florestal recebeu pessoas vindas de  todos os cantos do país. Várias pessoas acabaram fixando residência em Florestal, o que promoveu o povoamento e desenvolvimento do distrito.
De 1939 a 1943 a Fazenda-Escola formou capatazes, administradores rurais, além de treinar fazendeiros para a administração rural.

Nos anos de 1943 a 1948, a Escola passou a oferecer o ensino primário e profissional agrícola. Em 1948, se transformou em Escola Média de Agricultura de Florestal (EMAF), que tinha como objetivo a formação de técnicos agrícolas com o nível de segundo grau. A Escola era vinculada à Secretaria de Agricultura do Estado de Minas Gerais.
Em 1955, a EMAF foi incorporada pela Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (UREMG), em 1969, pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e, em 1981, foi transformada na Central de Desenvolvimento Agrário de Florestal (CEDAF). No ano de 2006, a instituição passou a oferecer cursos superiores, se transformando em campus universitário (UFV-Campus de Florestal). Desde 1940 a história de Florestal está fortemente relacionada com a instituição, devido à importância sócio-econômica e cultural que ela exerce no município.
Florestal está situada na região central de Minas Gerais, tem 191,421 Km² e possui 6.600 habitantes. O município é um dos trinta e quatro que compõem a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Fonte do Texto: Site da Prefeitura Municipal
Fotografias de Wellington Diniz

4 comentários: