A namoradeira de janela

A namoradeira é uma boneca geralmente grande e que só possui cabeça, ombros, braços e busto. Vestidos com decote no busto e lábios pintados. Um dos seus braços fica apoiado em uma superfície plana e o outro leva a mão ao rosto, em sinal de espera, olhos sonhadores e apaixonados. Rosto maquiado de feminilidade e vontade.   
Não podemos esquecer dos brincos, pulseiras e colares bem notáveis. São as crioulas mais sensuais e carentes do nosso Brasil.
Segundo a história, no período colonial,elas estariam a espera de namorado. Pois antigamente, tanto em Minas Gerais quanto em muitos estados, a educação que os pais  aplicavam em seus filhos era bastante rígida. As moças não ficavam amostras pelas ruas, ou tinham o típico namoro livre como hoje em dia. O rapaz quando estava interessado em alguma moça, ele tinha que ir até o pai da moça e pedi-la em namoro.  Mas, não podemos generalizar o que se passava na cabeça daquelas moças de antigamente, pois assim como hoje, antigamente elas também poderíam estar apenas na janela, passando o tempo, descansando do serviço doméstico em casa, ou até mesmo pegando um pouco de ar fresco. Existiam as fofoqueiras, como até hoje existem…
Mas não eram somente as moças da aristocracia que ficavam nas janelas. Nas janelas ficavam as mucamas, negras ou mestiças que, após a partida das sinhazinhas às suas casas (elas casavam e, consequentemente, morariam em sua própria residência), elas ficavam sós, esperando que alguém (seu futuro namorado, noivo, marido) a encontrassem na janela e as levassem também. 

Hoje são bonecas de gesso ou madeira que ficam normalmente debruçadas nas janelas das casas como que à espera do príncipe encantado que nunca chegará ou por vários outros motivos, como fofocar com a vizinha, ou esperar pelos filhos que brincavam em frente de casa...

Fotografia de Wilson Fortunato

Nenhum comentário:

Postar um comentário