A história da Bandeira de Minas e seu significado

“Sou do campo, da serra, onde impera o minério de ferro” muitas vezes cantou a mineira Paula Fernandes, falando de um estado tradicional por um dos ciclos de mineração do Brasil, pelo movimento contra a coroa portuguesa onde destacamos Tiradentes, um dos maiores colégios eleitorais do país, enfim, há muitas características que marcam o solo mineiro. Da mesma forma, a sua bandeira.

Em termos de cores e formas, a bandeira mineira não é vasta, porém cada detalhe possui significado histórico, da mesma forma que as demais bandeiras estaduais em nosso país. A religiosidade é um deles, posto no centro das atenções: o triângulo vermelho simboliza a santíssima trindade, tendo sido proposto por Tiradentes. Segundo outras fontes, assim como mencionado na bandeira gaúcha, a influência maçônica também é presente na forma do triângulo equilátero, que indica, entre outras coisas, a fé, a esperança e a caridade.

A frase nela escrita, “Liberdade ainda que tardia”, vem do lema em latim “Libertas quæ será tamen” da Inconfidência Mineira. Ela foi proposta por outro membro do movimento, Alvarenga Peixoto, sendo retirada de um versículo do poeta romano Virgílio.

A bandeira do Estado de Minas Gerais, em seu modelo atual, foi instituída pela lei 2.793, de 8 de janeiro de 1963, sancionada pelo governador José de Magalhães Pinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário